Filmes premiados

confira a lista completa

16ª Goiânia Mostra Curtas começa com homenagens, emoção e momento político


161004200200-r94a5953web

Foto: João Paulo Cardoso

A 16ª Goiânia Mostra Curtas abriu sua programação na noite desta terça-feira (4), com presença do ator Irandhir Santos, pocket show de Jards Macalé e homenagem póstuma ao ator, roteirista e cineasta Zózimo Bulbul, representado pela esposa Biza Vianna. O festival vai até o domingo (9), com ampla agenda cultural, além das já aclamadas exibições cinematográficas, no Teatro Goiânia.

Na abertura, a diretora do evento, Maria Abdalla, discursou sobre a situação política do país e a importância do cinema no meio cultural. “Após 15 anos de pioneirismo e militância, a Goiânia Mostra Curtas, em seu 16º ano, enfrenta, talvez, um de seus maiores desafios: sustentar-se diante de um quadro de instabilidade geral, em que conquistas políticas e culturais históricas se veem ameaçadas em nosso País. Se, até aqui, os desafios fizeram com que o festival crescesse e desse frutos, é possível que agora estejamos sendo convocados a uma luta ainda maior do cinema brasileiro, pela sua visibilidade e sustentabilidade”.

Ainda na solenidade, a diretora completou que a luta maior do cinema brasileiro deve ser pela democracia, “que possibilita uma produção audiovisual nacional cada vez maior, mais rica e inventiva, para usar o cinema como grande arma em defesa de nossa liberdade de expressão, crença e opinião e da diversidade de nossa cultura”.

Homenagens

irandhir

Foto: João Paulo Cardoso

Ao subir ao palco para receber o troféu Icumam, Irandhir Santos se lembrou do sucesso do seu filme Décimo Segundo (2007), dirigido por Leonardo Lacca, que foi muito bem recebido, anos atrás, na Goiânia Mostra Curtas. “Foi minha segunda atuação em curta-metragem, numa obra que tem um gesto comedido, um silêncio que fala muito e, por causa disso, passou por muitas oscilações de público. Quando soube, pelo diretor, que o filme foi muito bem recebido em Goiânia e premiado, fiquei bastante curioso para conhecer essa plateia e, por causa disso, tinha um desenho enorme de vir aqui”, relatou.

O ator pernambucano dedicou a homenagem ao seu colega de elenco na novela Velho Chico Domingos Montagner, morto em 15 de setembro deste ano. “Foi um momento muito difícil para todos nós, mas pude enxergar a força e a potência da tela e de nossa profissão, ao olhar para a lente, enxergá-lo e poder continuar a gravar”.

Foto: João Paulo Cardoso

Foto: João Paulo Cardoso

Homenageado in memorian, Zózimo Bulbul foi celebrado pelo pioneirismo de sua obra e a contribuição à cultura negra brasileira. Quem subiu ao palco para receber a honraria foi sua mulher, Biza Vianna, e sua companheira de trabalho, Clarisse Miranda. “Não são todos que reconhecem o trabalho de Zózimo. A maior homenagem é a Curta Mostra Especial, ideal de que ele foi precursor”, disse em relação à Curta Mostra Especial – Cinema Negro Brasil Contemporâneo, que integra a programação do festival, com filmes produzidos por uma nova geração de cineastas negros.