Filmes premiados

confira a lista completa

Irandhir Santos


Nascido na cidade de Barreiros, Pernambuco, é um ator reconhecido, sobretudo, por suas atuações no cinema nacional. Graduado no curso de Licenciatura em Artes Cênicas da Universidade Federal de Pernambuco, no Recife, cidade onde atuou em diversas montagens teatrais. Entre seus trabalhos mais recentes, estão atuações no longa-metragem Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, e na novela Velho Chico, com direção de Luís Fernando Carvalho, com quem já trabalhou também na novela Meu Pedacinho de Chão e na minissérie Dois Irmãos, série gravada em 2015.
Irandhir Santos é daqueles que desafiam nossas emoções com uma atuação escrachada e sem pudor. Não é por acaso que ele é um dos atores mais requisitados do cinema atual, e acaba de gravar uma novela. O sucesso hoje é internacional com dezenas de premiações, mas essa história começou lá em Limoeiro, no agreste pernambucano, quando ainda criança fez sua primeira atuação em uma adaptação teatral de Pai-Nosso. Em Recife, entrou para o grupo de teatro Somente, liderado por André Cavendish. Foi nos palcos que ele fez escola para que em 2005, estreasse no cinema com o filme Cinema, aspirinas e urubus, sob a direção de Marcelo Gomes. Foi quando despertou-se para a sétima arte.
O ator conquistou mais de vinte prêmios ao longo da carreira. Pelo filme Baixio das Bestas, de Cláudio Assis, recebeu o troféu Candango, no Festival de Cinema de Brasília, como Melhor Ator Coadjuvante; com Olhos Azuis, de José Joffily, ganhou diversos prêmios como Melhor Ator e Melhor Ator Coadjuvante nos festivais: Festival de Cinema Brasileiro em Paris e Miami, Festival de Cinema de Paulínia, no Festcine Goiânia e no FestNatal. Pelo longa-metragem de Marcelo Gomes e Karim Aïnouz, Viajo Porque Preciso Volto Porque Te Amo, recebeu o prêmio de Melhor Ator no 3º Festival de Cinema de Triunfo (PE).
A atuação no filme Febre do Rato, de Claudio Assis, concedeu a Irandhir o prêmio de Melhor Ator no Festival de Cinema de Paulínia e foi escolhido Melhor Ator coadjuvante no Prêmio Contigo de Cinema pelo filme “Tropa de Elite 2”, de José Padilha. E pelo recente trabalho em “Tatuagem”, de Hilton Lacerda, conquistou o Kikito de Ouro de Melhor Ator no Festival de Gramado.
Esteve no elenco do aclamado longa pernambucano O Som ao Redor. Na TV, atuou nas minisséries da TV Globo, A Pedra do Reino (direção de Luiz Fernando Carvalho) e, em Amores Roubados, sob direção de José Luiz Villamarim. Com Décimo Segundo, filme de curta-metragem sob a direção de Leonardo Lacca, recebeu o Troféu Mucuripe de Melhor Ator, no 18º Cine Ceará.


Voltar