Confira os premiados

Mostra Especial discute a produção audiovisual indígena no Brasil 


Índios no Poder (DF) doc Direção: Rodrigo Arajeju

A 17ª Goiânia Mostra Curtas traz um panorama atual da produção cinematográfica indígena.  Para a mostra especial, que tem como eixo temático Os Índios e o Cinema, serão apresentados 12 filmes, provenientes de sete Estados brasileiros, selecionados pela atriz, escritora e diretora Rita Carelli. As sessões serão neste sábado (7) e domingo (8), com entrada franca. A agenda de sábado traz, após a exibição, um debate com a presença da curadora e também de participantes do Coletivo Mbya-Guarani de Cinema, e com o casal de realizadores Suely e Isael Maxakali – nomes que serão homenageados pelo festival.  A programação pode ser conferida no link.

Para a diretora do festival, Maria Abdalla, é importante oferecer ao público uma oportunidade de aprofundar no tema. “Este momento de reflexão sintetiza a proposta da mostra, além de aprofundar a discussão sobre esse cinema e nos colocar em contato com diferentes agentes dele”.

Com mais de três décadas dedicadas ao cinema indígena, Vicent Carelli é, também, um dos homenageados desta edição. O cineasta e indigenista vai ministrar, durante a programação do festival, a oficina “Documentário – o Cinema Colaborativo como Compromisso de Vida”. O conteúdo programático abrange o vídeo como intervenção, a emergência do cinema indígena e, por fim, o documentário como ferramenta de reflexão e redenção. Os participantes foram selecionados por meio de análise curricular.

 

Saiba mais sobre a programação especial

Curta Mostra Especial – Os Índios e o Cinema – Dividida em dois programas, Brincadeiras e Lutas (sábado 7) e Os Poderes (domingo 8), a mostra especial traz, sob a perspectiva de Rita Carelli, as culturas de diferentes etnias; brincadeiras, histórias de conquistas e resistência, a relação com a natureza, a religião, a política e o capital. “As realidades indígenas são tão diversas como a vida, as temáticas são infinitas e muitos são os caminhos trilhados pelos realizadores, seu contato com o cinema (ou, em sentido inverso, de realizadores com o universo indígena) sua forma de apropriação dos recursos audiovisuais e suas finalidades. A própria noção de identidade indígena está muito além dos estereótipos desenhados”, analisa a curadora.

Debate – Após o primeiro programa, o debate Modos de fazer e pensar um Cinema Indígena traz os realizadores homenageados Suely e Isael Maxakali, o integrante do Coletivo Mbya-Guarani de Cinema Ralf Ortega, o cineasta e curador Rodrigo Arajeju, o cineasta e indigenista Vincent Carelli – idealizador do Vídeo nas Aldeias – e a curadora da mostra Rita Carelli.

A 17a Goiânia Mostra Curtas conta com o patrocínio da Rodonaves Transportes através da Lei Goyazes e do SESI – Conselho Nacional, apoio institucional da Universidade Federal de Goiás, do Ministério da Cultura por meio da Secretaria do Audiovisual, apoio da Saneago e da Unimed Goiânia e é realizada pelo Icumam. Toda a programação é gratuita e pode ser acessada aqui.

 

O Festival

Completam a agenda de exibições as Mostras Goiás, Brasil, Animação e Mostrinha – esta última, dedicada ao público infantil. O evento começou na terça-feira (3) e vai até domingo (8), com palestras, debates, workshops e atividades variadas relacionadas ao audiovisual. Toda a programação é gratuita. Veja agenda completa.

Por meio da variedade da programação, a Goiânia Mostra Curtas oferece uma proximidade com a produção audiovisual feita em todo o Brasil, segundo a diretora do festival, Maria Abdalla. “A intenção é trazer um panorama das produções nacionais, propiciar um intercâmbio de culturas e, ainda, valorizar o setor audiovisual, que têm crescido bastante nos últimos anos”.