Cineasta Gabriel Mascaro fala sobre pesquisa e processo de criação em master class


 

No quarto dia do festival Goiânia Mostra Curtas, o público marcou presença na master class sobre Pesquisa e Processo, com o artista e cineasta Gabriel Mascaro, e lotou a sala na Vila Cultural Cora Coralina. A atividade faz parte da programação da Feira Audiovisual, que acontece paralela à exibição de filmes.

O momento foi um verdadeiro encontro para troca de experiências com o profissional que tem seu trabalho caracterizado pela leitura crítica do contemporâneo e investigação das relações entre micropolítica e cotidianidade a partir de diferentes mídias, como filme, instalação e fotografia.

Durante a master class, o cineasta promoveu um bate-papo com os presentes para a discussão de estratégias de realização e o processo criativo. Segundo ele, um espaço para compartilhar um pouco de sua trajetória, do processo de pesquisa e desenvolvimento de projetos e também de entender como isso se dá com outros realizadores.

“Muitas ideias às vezes ficam na cabeça das pessoas e elas, por não terem contato, não terem experiência, não conseguem levar para frente um projeto e eu espero muito que as pessoas consigam entender essa etapa de materializar uma ideia, de conseguir ver a ideia na tela”, explicou.

Processos de filmagem, a integração e o cuidado das relações dentro do set de filmagem, e a atmosfera de criação dos filmes do diretor foram discutidos na tarde desta sexta-feira. Pautado pelo seu último longa-metragem, Divino Amor (2019), Gabriel falou ainda sobre efeitos especiais, engenharia de som, teatralidade e construções narrativas.

Gabriel Mascaro realiza pesquisas narrativas minimalistas e autoficções. Na parte de processo, se vale da reapropriação narrativa e jogos de inversão e perspectiva.