A resistência por meio do audiovisual


A Goiânia Mostra Curtas chega em 2019 como um marco. Realizar um festival por 19 anos consecutivos mostra a importância e o reconhecimento do evento como um dos mais significativos do país na área e no formato de curta-metragem nacional. O audiovisual brasileiro conquista espaço e tornou-se uma indústria que há quase três décadas, desde a retomada da produção do cinema no Brasil, gera emprego e renda para milhares de cidadãos, movimentando mais recursos que o setor farmacêutico, por exemplo. Porém, diante de incertezas atuais, festivais de pequeno até grande porte estão ameaçados sem garantias de fomento e apoio, em função do delicado momento de gestão de políticas públicas voltadas para a cultura. 

Seguimos com o papel de levar adiante o que foi construído até agora. Em sua trajetória inicial, a Goiânia Mostra Curtas atendia demandas primárias de formação. Hoje, quase 20 anos depois, se estende a demandas mais elevadas, com estímulo a atividades relacionadas ao mercado de forma avançada, pensando também na capacitação. Assim, o festival tem grande impacto na economia criativa, admitindo e estimulando profissionais de diversas áreas. Democratizar a difusão do audiovisual nacional é o foco e o objetivo central deste evento e, talvez mais do que nunca, realizar o festival se torna tão essencial, pois é importante que este trabalho continue e evolua.

São incontáveis também os desafios, em quase duas décadas de produção, que consolidaram Goiânia como um celeiro do audiovisual nacional. O incentivo à produção local de filmes faz também com que Goiás seja reconhecido cada vez mais como um polo de cinema. A cada edição, a Goiânia Mostra Curtas reafirma que o nosso Estado é sim um espaço para divulgação e ampliação da cultura de cinema. O setor está em franco crescimento e a história do festival tem relação íntima com o histórico de desenvolvimento do audiovisual em nossa região. Os números comprovam: desde seu nascimento,  já passaram pelo festival mais de 280 mil espectadores, que assistiram mais de mil curtas-metragens brasileiros. 

Nesta edição, a Goiânia Mostra Curtas atingiu a marca de mais de mil filmes inscritos, de 23 Estados e Distrito Federal. Dilemas da infância e a construção da identidade infantil, a maturidade das narrativas de animação conquistada ao longo dos últimos anos, a diversidade e o fortalecimento das produções goianas, e a bravura e pluralidade criativa de obras produzidas em todo o país estarão estampadas entre 8 a 13 de outubro, na tela do Teatro Goiânia, em Goiânia – Goiás. Serão exibidas 87 obras em suas mostras competitivas e na Curta Mostra Especial – O Amor e Suas Formas. Há ainda homenagens, debate e pocket show. Já na Feira Audiovisual, na Vila Cultural Cora Coralina, temos oficinas, master classes, painéis, laboratório de roteiros, lançamento literário, encontros e evento de network.

Somente a união de parceiros torna possível a realização da 19ª edição deste evento, que estimula a produção e profissionalização do audiovisual goiano e nacional. Com a mesma garra da primeira edição, chegamos aqui, com toda força necessária para que a Goiânia Mostra Curtas seja sempre um caminho de transformação, inovação e promoção da diversidade cultural brasileira. Nas circunstâncias em que nos encontramos, deparar-se com o afeto mostra que estamos no caminho certo. É justamente esse afeto, no substantivo e no verbo, que dão vida a esse festival.


Voltar