Ceicine

O Ceicine – Coletivo de Cinema em Ceilândia, surgiu em 2005, da necessidade de se conversar, pensar e produzir conteúdo de cinema e audiovisual. Celeiro de filmes premiados, como o curta-metragem Rap – o Canto da Ceilândia, de 2005, que ganhou como Melhor Filme, pelo júri oficial e pelo júri popular, do 38º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro; Branco Sai, Preto Fica, de 2014, com os prêmios de Melhor Filme, Melhor Ator e Direção de arte do 47º FestBrasília e o curta-metragem Meio Fio, de 2014, vencedor de Melhor Fotografia na Mostra Brasília, permanece como coletivo até hoje, produzindo diversos materiais. Tem em fase de finalização, dois longas-metragens de Adirley Queirós, Brasília, Cartas Lacradas e Era Uma Vez Brasília e ainda, o curta-metragem de Cássio Oliveira, Não Sei Mais Quebrar um Break.