Johnny Hooker


Johnny Hooker é “uma mulher em fúria no corpo de um homem com os olhos marejados de lágrimas”, é assim que se define o músico pernambucano de 27 anos que tem causado alvoroço na música brasileira desde o lançamento do seu 2o álbum (o 1o trabalho solo); “Eu Vou Fazer Uma Macumba pra Te Amarrar, Maldito!” que figurou no topo das paradas do Itunes Brasil e de serviços de streaming como o Deezer e o Spotify.

Johnny vem no “contra-ataque da música pop brasileira” como definiu a Revista Rolling Stone Brasil, trazendo um trabalho que resgata o mais profundo do cancioneiro popular do país, e ritmos relegados pelo mainstream que produz popstars enlatados, criados a imagem e semelhança de seus “duplos” estado-unidenses.

Frevo, samba e música romântica, na melhor formúla dor-de-cotovelo se misturam ao rock e a refrões poderosos, criando um autêntico popstar a Brasileira, que como escreve Zeca Camargo (um dos jornalistas de música mais respeitados do país) “foi prazer bater de frente nessa geleira e afundar no pop de Johnny Hooker...E a música – bem brasileira, bem moderna e bem longe dos clichês – é irresistível." E não foi por acaso que Johnny foi justamente o vencedor do 26o Prêmio da Música Brasileira (o principal prêmio do país), na categoria Melhor Cantor Popular, em 2015. Na premiação dividiu o palco com a icônica Alcione, tendo recebido elogios de lendas da música como Maria Bethânia e Caetano Veloso.

Seu trabalho tem atraído uma legião de fãs fervorosos por onde passa com vários shows de sua mais recente turnê “Macumba” com ingressos esgotados. Seus clipes já acumulam mais de 2 milhões de visualizações no Youtube, sendo o carro-chefe deles o da canção “Volta” (500 mil visualizações), que foi tema do longa-metragem “Tatuagem”, o filme brasileiro mais premiado de 2013. Valendo destacar também o clipe de “Alma Sebosa”, música que foi tema da telenovela “Geração Brasil” (TV Globo), no qual Johnny interpretou o personagem fixo Thales Salgado, o clipe ganhou prêmios e esteve em várias listas de melhores do ano.

Logo após o lançamento de seu disco mais recente, sua música “Amor Marginal” foi escolhida para a trilha-sonora de “Babilônia”, novela da TV Globo que integra o horário das 21hrs, sendo o produto televisivo mais assistido no país.

Com uma carreira de mais de 10 anos e um trabalho que passeia por diversas plataformas - cinema, música, televisão - Johnny já foi do cinema em “Tatuagem” a vitória do reality show musical Geleia do Rock (2010), do canal Multishow, tendo também sido indicado ao Prêmio Multishow de Música Brasileira em 2011. Promovendo um trabalho que desafia gênero, linguagens e que questiona a própria identidade da música brasileira, Johnny é um artista para celebrar e principalmente preservar, em meio a tempos de uma nova onda de conservadorismo político e social no Brasil.