Maria Abdalla

Maria Abdalla é bacharel em Serviço Social pela Universidade de Ribeirão Preto (UNAERP), produtora cultural e presidente do Instituto de Cultura e Meio Ambiente (Icumam). Integra a diretoria do Fórum Nacional de Organizadores de Eventos Audiovisuais Brasileiros – Fórum dos Festivais - e é desde 1998 associada da Associação Brasileira de Documentaristas (ABD/GO). Em 1998, ministrou em Goiânia, workshops sobre mercado cultural e foi assistente de coordenação das 1ª (1999) e 3ª (2001) edições do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA). Coordenou em 1999, o projeto Cinema para Todos pelo interior de Goiás, exibindo o filme O Tronco (Raiz Produções). Foi assistente de produção do longa-metragem Uma Vida em Segredo (2000), da diretora Suzana Amaral, em Pirenópolis-GO. Diretora de produção do documentário O Caso Matteucci (2002), de João Batista de Andrade.
É idealizadora e diretora geral da Goiânia Mostra Curtas (2001 a 2015), idealizadora e coordenadora geral do Cinema Popular (2004, 2005, 2006, 2009, 2010, 2011, 2012, 2013, 2014 e 2015), projeto de exibição itinerante de filmes nacionais no interior de Goiás, Tocantins e Mato Grosso; do Curso de Formação Profissional para Cinema (2006 a 2015), e do I e II Icumam Lab – Laboratório de Fomento à Produção Audiovisual no Centro-Oeste (2013 e 2015). Coordenadora, em Goiás, da 4ª a 9ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul (2009 a 2014), realizada pela Secretaria de Direitos Humanos do Governo Federal.
Como curadora, é responsável pela programação da Curta Mostra Brasil (2002 a 2015), Curta Mostra Municípios (2002 a 2008), Mostrinha (2002 a 2004) e Curta Mostra Cinema nos Bairros (2002 a 2015) da Goiânia Mostra Curtas. Ainda em 2013, percorreu 10 bairros de Goiânia exibindo filmes da 12ª Goiânia Mostra Curtas. Participou da curadoria do 1º Festival de Vídeo Tela Digital, da TV Brasil, organizado pela Kinoforum, e curadora da Programadora Brasil, da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, desenvolvido por meio da Cinemateca Brasileira e do Centro Técnico do Audiovisual, o CTAv.
Integrou o júri do Cine PE (2003) e do 16º Festival de Vitória (2009). Em 2012 integrou a comissão de seleção do Edital de Curta-metragem da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e em 2013 foi júri da competitiva nacional do “Primeiro Plano 2013 – Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades”.
Em 2015, realizou o II Icumam Lab – Laboratório de Fomento à produção Audiovisual no Centro Oeste, cuja primeira edição foi realizada em 2013 dentro da programação da 13ª Goiânia Mostra Curtas. Também coordenou o 10º Curso de Formação Profissional – Núcleo de Desenvolvimento de Roteiros Audiovisuais – 1ª etapa. Coordena o 10º Circuito – Cinema Popular, que esse ano percorre 15 municípios goianos e está em fase de produção da 15ª Goiânia Mostra Curtas, que esse ano completa 15 anos de existência.