Shell Jr.

Carlos Dias de Medeiros Jr./ Shell Jr.

Shell Junior foi cenógrafo e diretor de arte. Trabalhava com cenografia desde 1984 quando começou com o Grupo Via-Láctea, em Goiânia, enquanto cursava Arquitetura na Universidade Católica de Goiás - UCG.
A partir de 1987, com a criação do Centro Cultural Martim Cererê, realizou trinta edições do Cabaré Goiano, espetáculo no estilo café concerto que estreava uma montagem a cada 4 semanas, sempre com tema e cenografia diferente, servindo como um exercicio permanente de produção, figurino e cenografia.
Ali montou também os espetáculos Pequenos Burgueses, Antonin Artaud, Albuquerque e Carreira do Divino, todos sob a direção de Marcos Fayad.
De 1991 a 1995 foi coordenador e professor de artes plásticas no Musika Centro de Estudos, onde participou de um projeto de arte integrada, em que desenvolveu diversos trabalhos de cenografia com os alunos, tais como A sereia ..., Maria Grampinho, Viagem ao Centro da Terra e José, O Príncipe do Egito.
Nesse mesmo período, na Flicts Livraria e Café, participou da criação de um teatro de bolso, em um palco com menos de 3 metros quadrados foram montados espetáculos como Fragmentos de um Discurso Amoroso, Cadeiras Proibidas e Ana Cristina César.
A partir de 1994, trabalhou com a Quasar Cia de Dança, dirigida pelo coreógrafo Henrique Rodovalho, com quem montou os espetáculos Versus, Senhores de Poucas Visões, Ovo de Galinha, Quatros, Registro, Divíduo e O+.
De 2000 a 2004 trabalhou na Secretaria Municipal de Cultura de Goiânia, dirigindo eventos como a 1ª Festa Junina de Goiânia e a 1ª Encenação da Paixão de Cristo.
Ainda na Secretaria de Cultura, assumiu a direção do Museu de Arte de Goiânia durante o processo de reabertura do mesmo. Foi diretor de arte e sócio-proprietário da agência de publicidade Cantagalo Comunicação, em Goiânia.
No teatro, trabalhou em vários projetos como Chuvas, de Fernando Guerreiro; Confissões de uma Mãe Porra Louca, de Marcelo Souza; A Terceira Margem do Rio, de Henrique Rodovalho; Melodia para Ti, da companhia Nu Escuro, entre outros. Colaborou em eventos como o FICA e a Semana do Calouro UCG e em shows de Claudia Vieira, Marco Antonini, Valeria Costa e Maria Eugenia.
No cinema, trabalhou em Terra de Gigantes, de Iberê Cavalcanti; Abril Despedaçado, de Walter Salles; Brava Gente, de Lucia Murat; Bernardo Elis, Monumento às Nações Indígenas e Bernardo Sayão, de Px Silveira; Utaú, de Débora Torres, entre muitos outros.