8ª Goiânia Mostra Curtas

 

gmc_8
Artista: Pitágoras

7 a 12 de outubro de 2008

“Os estudantes daqui de Goiânia são muito interessados, veem as sessões, vão às oficinas, depois vêm conversar com a gente sobre os filmes”.
Ilana Feldman
Curta-metragista participante da Curta Mostra Brasil da 8ª Goiânia Mostra Curtas e premiada na Curta Mostra Brasil da 9ª Goiânia Mostra Curtas

“Eu ensino em uma universidade de cinema, que não tem a disciplina de cinema experimental, nem como disciplina optativa. Aí eu chego aqui, falo de vários cineastas experimentais e as pessoas conhecem, isso é muito rico. E eu não consigo imaginar que uma mostra de cinema como a Goiânia Mostra Curtas não tenha alguma influência nisso”.
Cezar Migliorin
Ministrante de oficina da 8ª Goiânia Mostra Curtas

“É o festival que eu vejo que é um dos mais democráticos do país, pela forma como as películas são colocadas. Então concorrem 35mm, digital, super VHS, todo mundo junto, não há diferença, eu acho isso muito importante num festival”. 
André da Costa Pinto
Curta-metragista paraibano, participante da Curta Mostra Brasil da 8ª Goiânia Mostra Curtas

“É muito importante uma tarde como essa, onde há uma troca de ideias não só entre os que estão na mesa, mas entre os que estão na plateia também. Essa troca é muito saudável”.
Kleber Mendonça Filho
Curta-metragista com várias participações na Curta Mostra Brasil e debatedor da 8ª Goiânia Mostra Curtas

Experimentalismo e criatividade da videoarte brasileira

Ocupando pelo sexto ano consecutivo o Teatro Goiânia – que ao sediar o festival, foi visitado por milhares de espectadores goianienses e conhecido por centenas de convidados de outros Estados brasileiros, a 8ª Goiânia Mostra Curtas marcou uma despedida momentânea do festival de seu tradicional espaço, que durante os dois anos seguintes esteve e está fechado para uma ampla e duradoura reforma. O tema da edição foi a videoarte brasileira, com homenagem ao realizador mineiro Carlosmagno Rodrigues. A Curta Mostra Videoarte destacou o diálogo do audiovisual com as artes plásticas no Brasil, exibindo curtas experimentais, curtas feitos por artistas que se utilizam da tecnologia do vídeo nas artes visuais, e sobre artistas, como foi o caso de Heliorama (2004), homenagem de Ivan Cardoso a Hélio Oiticica. O trabalho pioneiro de Letícia Parente, no Rio de Janeiro (anos 1970), a experiência com as videocabines de Sandra Kogut (anos 1990), além do experimentalismo de Cao Guimarães e Lucas Bambozzi completaram as duas sessões, que contaram também com curtas de outros realizadores.

A responsável pelos três panoramas históricos (experimental, documentário e videoarte brasileiros), exibidos ao público goianiense entre 2006 e 2008, na Goiânia Mostra Curtas, foi a professora Tetê Mattos (Universidade Federal Fluminense/RJ), uma colaboradora que proporcionou ao público cativo do festival um significativo horizonte de referências da cinematografia brasileira em curta-metragem. Na Curta Mostra Brasil, o representante goiano foi Madrugada, vídeo de Leonardo Camarcio.

Premiados
Décimo Segundo, dir. Leonardo Lacca – PE (Curta Mostra Brasil)
Fernando Coimbra, por Trópico das Cabras – SP (Melhor Direção/Curta Mostra Brasil)
Cortejo Negro, dir. Diego Müller – RS (Curta Mostra Municípios)
Bruno Jorge, por O Papel das Dobras – SP (Melhor Direção/Curta Mostra Municípios)
Katteca, dir. Raimundo Alves – GO (Curta Mostra Goiás)
Luiz Eduardo Jorge, por Subpapéis – GO (Melhor Direção/Curta Mostra Goiás)
10 centavos, dir. César Fernando de Oliveira – BA (Júri Popular/Curta Mostra Cinema nos Bairros)
Mão de Vento, Olhos de Dentro, dir. Susanna Lira – RJ (Júri Popular/7ªMostrinha)