9ª Goiânia Mostra Curtas

 

gmc_9
Artista: Fabíola Morais

6 a 11 de outubro de 2009

“É um dos maiores festivais de curta-metragem do Brasil. É talvez um dos eventos que mais abre espaço para a produção audiovisual de ponta. A seleção dessa quantidade de obras que são exibidas aqui é uma seleção feita com muita inteligência. Esse lado antenado da Goiânia Mostra Curtas em relação ao audiovisual de ponta feito no Brasil, esse ano, se revela de uma forma muito explícita na mostra especial que é dedicada às mídias portáteis”.
Francisco César Filho
Curador da Curta Mostra Mídias Portáteis da 9ª Goiânia Mostra Curtas

“Uma das alegrias aqui em Goiânia é ver essas barreiras totalmente quebradas, totalmente sem distinção de: ‘esse formato é uma coisa’, ‘esse é outra’. Estamos apontando para uma ideia de audiovisual que é uma ideia aberta, expandida, ampla e que se torna cada vez mais acessível, cada vez mais possível de ser distribuída, disseminada e produzida, mesmo por quem não tem uma formação audiovisual”. Lucas Bambozzi
Videoartista homenageado na 9ª Goiânia Mostra Curtas

“A Goiânia Mostra Curtas é uma oportunidade de interagir com os realizadores de curtas-metragens de todo o país. É, portanto, um momento de escuta, de sensibilidade, para perceber as questões de uma jovem geração de realizadores de obras audiovisuais. O festival é importante para nós, da Agência Nacional de Cinema, para tirar a temperatura, para sentir o processo, a maneira como novos agentes adentram no mercado de cinema e audiovisual”.
Manoel Rangel
Presidente da Ancine e convidado da 9ª Goiânia Mostra Curtas

A mudança para o Teatro Madre Esperança Garrido

Houve uma enorme batalha por um novo espaço que pudesse acolher a 9ª Goiânia Mostra Curtas. A organização se preocupava em manter a qualidade de projeção, o conforto e a localização no centro da cidade e já cogitava realizar a edição em um cinema pornô. Esse problema evidenciou um grave descompasso entre o movimento gerado pelos eventos realizados em Goiânia e a falta de aparelhos culturais que possam dar suporte a esse movimento na cidade, uma crise que se arrasta até hoje. Colaboram tanto a morosidade do poder público na manutenção dos espaços culturais existentes como a inexistência de investimentos da iniciativa privada nesse tipo de empreendimento. Por fim, faltando alguns meses para a realização do festival, é inaugurado o Teatro Madre Esperança Garrido, no Colégio Santo Agostinho – local perfeitamente adequado para as intenções da organização.

A nona edição do festival teve início com a realização de um seminário de crítica de cinema, ministrado por Marcelo Lyra. O grupo de alunos preparado nesse seminário realizou a cobertura do festival, publicando textos críticos no blog criado especificamente para essa finalidade. O tema escolhido para a 9ª Goiânia Mostra Curtas foram as mídias portáteis, com a realização de oficina ministrada por Nacho Durán, debates sobre novos formatos de distribuição e retrospectiva das três primeiras edições do Vivo arte.mov - Festival Internacional de Arte em Mídias Portáteis, um dos homenageados pela mostra, além de sessão especial com os curtas de Lucas Bambozzi (curadoria de Francisco César Filho). O voto popular da Mostrinha e da Curta Mostra Cinema nos Bairros foi estendido às demais sessões competitivas do festival, passando a oferecer um prêmio extra na Curta Mostra Brasil, Curta Mostra Municípios e Curta Mostra Goiás. Confirmando uma tendência da curadoria que se afirmou a partir de 2006, apenas um trabalho local foi selecionado para a Mostra Brasil – o vídeo Descrição da Ilha da Saudade ou Baudelaire e os teus cabelos (2009), dirigido por Alyne Fratari.

Premiados
Olhos de ressaca, dir. Petra Costa – RJ (Curta Mostra Brasil)
Cléber Eduardo e Ilana Feldman, por Rosa e Benjamin – SP (Melhor Direção/Curta Mostra Brasil)
DJ do Agreste, dir. Regina Célia Barbosa – AL (Júri Popular/Curta Mostra Brasil)
De volta à terra boa, dir. Vincent Carelli – Olinda – PE (Melhores Curta e Direção/Curta Mostra Municípios)
Preistachion 13, dir. Ricardo Piologo, Rodrigo Piologo e Rogério Vilela – SP (Júri Popular/Curta Mostra Municípios)
A luta continua, dir. Movimento do Vídeo Popular – GO (Curta Mostra Goiás)
Grupo Empreza, por Pedra Como Passagem – GO (Melhor Direção/Curta Mostra Goiás)
Amor sem palavras, dir. Thiago Augusto – GO (Júri Popular/Curta Mostra Goiás)
Calango Lengo - morte e vida sem ver água, dir. Fernando Miler – SP (Júri Popular/Curta Mostra Cinema nos Bairros)
Enciclopédia, dir. Bruno Gularte Barreto – RS (Júri Popular/8ª Mostrinha)