O Festival

 

Novos traços de maturidade

 

Neste ano mais que especial, compartilho um ponto de vista que nos ocorreu somente com o mínimo distanciamento das rotinas exaustivas de preparação de um festival no porte da Goiânia Mostra Curtas.

Quem acompanha este trabalho há 15 anos é capaz de reconhecer a receptividade como característica nossa. No entanto, em 2015, estamos experimentando não somente o sentimento próprio de quem acolhe, sentimos também a emoção própria de quem está sendo visitado. Tudo a ver com uma certa atmosfera celebrativa.

Engajados neste bonito exercício de empatia, corremos o risco de realizar uma das mais marcantes edições da Goiânia Mostra Curtas, sem dúvida um dos festivais mais queridos do Brasil. E isso a gente só confirma quando existe crise e motivação para o enfrentamento de quaisquer desafios.

Mais do que planejar, captar recursos, conquistar parcerias e produzir passo a passo cada atividade, ressalto o esforço do Icumam na criação de estruturas fortalecidas e estratégias alternativas que garantem a continuidade deste trabalho que demonstra relevância. Além do grande impacto do festival na sociedade, levando milhares de pessoas para o Teatro Goiânia durante o evento, a Goiânia Mostra Curtas mobiliza a cadeia produtiva da chamada economia criativa, estimula produção audiovisual e qualificação profissional.

Agradeço toda a equipe, nossos patrocinadores e apoiadores. Gosto sempre de ressaltar essas datas comemorativas, quem trabalha comigo sabe. Mas a verdade é que a gente tem que celebrar ano a ano e porque não, todo dia.

 

Desejo a todos uma experiência memorável.

 

Maria Abdalla
Diretora Geral