19 de Junho de 2014

(SP) - 2014 - doc - 1min.

Direção: Danilo Arenas. Contato: contato@12pmphoto.com

"A gente nunca entende por completo o que se passa nas ruas, atos e manifestações. É impossível entender todos os interesses, estratégias, ganhos e perdas. O que se sabe é o que se busca. Se é liberdade ou violação de direitos. Poucos crêem violar direitos, muitos violam; sabendo ou não. Se hoje existe a cultura de protesto no brasileiro, é porque uma parte cansou. Estamos num novo ciclo de consciência. Reivindicações agora também se tornam parte da agenda brasileira. E isso é belo; definitivamente incerto. Depende de muita coisa. Na relação com a vida não há destino. Onde estão os policiais infiltrados, famosos P2’s? O que eles podem fazer? Ajudariam a quebrar uma concessionária para destruir moralmente o Movimento Passe Livre? Até onde o Estado e sua polícia militar podem ir? Qual recado está sendo dado? Vivemos uma guerra sem saber? As respostas estão sendo colhidas a cada ato, a cada manifestação; a cada gesto militar ou civil. As cartas estão muito além da mesa. Estão espalhadas em todos os cantos representando todos os planos. Mas há cartas mais fortes. Dessas que trucam. Que levam o tento. E só o tempo dirá quem tem a manilha. O torneio de futebol engole os ângulos, deixa as ruas mais escuras, mais amargas. Quem vive o processo entende a importância da resistência. Das vozes dissidentes. Quem vive o processo percebe os intrusos. Quem vive o processo encara as contradições e segue. Porque se é de batalhas que se vive a vida, temos, então, a certeza de estarmos vivos. O pulso ainda pulsa." (Fábio Chap)