Publicado em: 07/10/2015 22:35 por Icumam
Cerimônia de abertura do festival lota Teatro Goiânia
Cerca de mil pessoas prestigiaram a cerimônica de abertura da 15ª Goiânia Mostra Curtas, na noite desta terça-feira (6/10). A comemoração dos 15 anos do festival começou com homenagens, exibição de filmes...

Cerca de mil pessoas prestigiaram a cerimônia de abertura da 15ª Goiânia Mostra Curtas, na noite desta terça-feira (6/10). A comemoração dos 15 anos do festival começou com homenagens, exibição de filmes e pocket show com o cantor e compositor pernambucano Johnny Hooker.

 

Representando o Ministério da Cultura, o Secretário do Audiovisual Pola Ribeiro, destacou a relevância da Goiânia Mostra Curtas para o fortalecimento do audiovisual brasileiro. A Prefeitura de Goiânia também marcou presença, por meio do Secretário Municipal de Cultura Ivanor Florêncio.

 

Em seu discurso de abertura, a diretora geral da Goiânia Mostra Curtas, Maria Abdalla, ressaltou a preocupação do festival em encontrar alternativas para a sustentabilidade e continuidade do trabalho. “Os nossos eixos de trabalho são bem definidos: democratização do acesso ao cinema brasileiro, qualificação profissional e formação de público. O festival também estimula a produção: a cada ano oferece premiação em serviços e produtos concedidos por parceiros da indústria cinematográfica para a realização de novos filmes.”

 

As homenagens transcorreram com emoção aflorada no palco. A atriz Gilda Nomacce e o Ceicine (Coletivo de Cinema em Ceilândia) receberam o Troféu Icumam, em reconhecimento ao trabalho valorizante do cinema de curta-metragem nacional. Para o cenógrafo e diretor de arte Shell Jr. houve homenagem póstuma, em um dos momentos mais especiais da cerimônia de ontem.

 

Showtime

No pocket show de Johnny Hooker, o público respondeu passionalmente à performance que, para alguns, cita a obra de Ney Matogrosso, Maria Bethania, Elza Soares. Certo mesmo é que o artista trilha caminhos próprios, conduzindo com autenticidade uma carreira que começou no território underground e, alavancada pelo cinema, chegou ao grande público sem causar a impressão de déjà vu.