Laboratório de Roteiros Audiovisuais


A 21ª Goiânia Mostra Curtas apresenta a programação do Laboratório de Roteiros Audiovisuais, com inscrições abertas de 7 a 28 de abril de 2022. O Laboratório de Roteiros Audiovisuais tem como principal objetivo reconhecer e qualificar roteiros originais ainda não produzidos em duas categorias: longa-metragem ou curta-metragem para documentários e obras de ficção, contribuindo com seu desenvolvimento, garantindo sua visibilidade e criando oportunidades para sua eventual realização. Os argumentos selecionados receberão consultorias individuais da cineasta Alice Riff e do diretor e roteirista Gabriel Martins, renomados profissionais do setor audiovisual nos cenários nacional e internacional.

As consultorias serão realizadas nos dias 7, 8 e 9 de julho, via Zoom, e cada uma terá duração de duas horas. Confira o regulamento.

LABORATORIO DE ROTEIRO DE DOCUMENTÁRIO (CURTA OU LONGA-METRAGEM):

Tutora: Alice Riff – Cineasta

Alice Riff - Diretora & Roteirista

Alice Riff, São Paulo, 1984, é cineasta. É formada em Cinema (FAAP) e Ciências Sociais (USP) e tem pós-graduação em estudos Brasileiros na Escola de Sociologia e Política de São Paulo. É diretora e roteirista dos longas-metragens documentais Eleições (2018, 100′), Meu corpo é político (2017, 70′) e Platamama (2018, 82′). Os filmes passaram por importantes festivais nacionais e internacionais como Visions du Reel, Dok Leipzig, Festival do Rio, BAFICI, Festival del Nuevo Cine Latinoamericano de Havana, Festival de Brasília. Meu corpo é político ganhou prêmio de melhor filme brasileiro no Olhar de Cinema de Curitiba e Melhor filme no Lovers – LGBT Torino Film Festival. É produtora executiva de Histórias que nosso cinema (não) contava, direção de Fernanda Pessoa, disponível no Netflix.

Alice dirigiu diversos documentários para televisão e curtas-metragens, como Orquestra   Invisível   Let’s   Dance  (Prêmio   Aquisição   TV   Cultura   no  Festival Internacional de Curtas de SP Kinoforum e Menção Honrosa no PirenopolisDoc). Com o documentário Diálogos, ganhou o prêmio de Melhor filme no Festival Cinesul 2012. Cidade Improvisada, curta metragem produzido e dirigido pela diretora, ganhou o prêmio de melhor filme no Festival Visões Periféricas e foi selecionado para mais de 50 festivais nacionais e internacionais.

Seus projetos têm participado de importantes encontros de coprodução e laboratórios de desenvolvimento, como La Fabrique Cinema do Festival de Cannes, Cinemundi BH, DocSP, Rio2C, Laboratório de Desenvolvimento do FICCI – Festival Internacional de Cartagena das Indias, entre outros. Com Eleições, participou do Rough Cut Lab do DocMontevideo com consultoria de João Moreira Salles e Eduardo Escorel.

EMENTA: Iremos nos debruçar sobre cada projeto a fim de buscar sua essência e potencializá-lo do ponto de vista de roteiro e direção. Diretores(as) e produtores(as) apresentarão o projeto em etapa de desenvolvimento, e levantaremos questões que ajudarão a equipe a se aprofundar nas questões conceituais que o filme demanda.

Cada consultoria individual passará pelas seguintes etapas:
– Breve apresentação do projeto por parte dos realizadores;
– Análise geral do argumento;
– Análise das personagens e relações que estabelecem entre si;
– Análise da estrutura;
– Sugestões de encaminhamento.

Data: 7 a 9 de julho
Horário: 10h às 12h

Projetos Selecionados
Ele fazia com o que não tinha, de Julia Menna (RJ) – curta-metragem
Nós, de Britney Federline (SP) – curta-metragem
As pontes de um Brasil Central (BA) – longa-metragem

Suplentes
Ashanti: a herança africana em Minas Gerais, de Rafael Aquino (MG) – longa-metragem
As Benzendeiras, de Labibe Araújo (MG) – curta-metragem

 

LABORATORIO DE ROTEIRO DE FICÇÃO (CURTA OU LONGA-METRAGEM):

Tutor: Gabriel Martins – Diretor e Roteirista

Gabriel Martins- Diretor & Roteirista

Gabriel Martins atua como Roteirista, Fotógrafo, Diretor, Montador e Produtor. Nascido em Belo Horizonte e radicado na periferia de Contagem, graduou-se na Escola Livre de Cinema/BH e em Comunicação Social com Habilitação em Cinema e Vídeo, em 2010, no Centro Universitário UNA. Foi um dos fundadores e críticos da revista de cinema Filmes Polvo. É sócio fundador da produtora Filmes de Plástico, junto a André Novais Oliveira, Maurílio Martins e Thiago Macêdo Correia.

Desde 2005, escreveu e dirigiu 12 curtas-metragens, tendo como destaque “Contagem” (exibido em mais de 10 festivais e ganhador de 7 prêmios, entre eles Melhor Direção no Festival de Brasília e no Festival de Cinema de Vitória, em 2010), “Dona Sônia pediu uma arma ao seu vizinho Alcides” (Premiado no Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte, Janela Internacional de Cinema de Recife e exibido internacionalmente no Festival Internacional de Cinema de Rotterdam e no Festival de Clermont-Ferrand, dentre outros),  “Meu Amigo Mineiro”, no qual é co-diretor e diretor de fotografia (Melhor curta-metragem na 16ª Mostra de Cinema de Tiradentes e em outros vários festivais como o Festival de Cinema de Vitória, o Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte, o Janela  Internacional de Cinema do Recife e outros mais), “Rapsódia para o Homem Negro” (Melhor filme no Festival Guarnicê de Cinema, no Festival de Anápolis, Prêmio Canal Brasil no Festival de Brasília e eleito o melhor curta-metragem de ficção do ano no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, dentre vários outros prêmios).

Seu último curta, “Nada”, foi selecionado para a Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes, em 2017, para o Festival do Novo Cinema Latino Americano em Cuba, para o Festival da Vila do Conde e vários outros, além de ter ganhado menção honrosa no Janela de Cinema do Recife e prêmio de Melhor Trilha Sonora no Festival de Brasília.

É roteirista do longa-metragem “Alemão”, dirigido por José Eduardo Belmonte, lançado em 2014 com resultado de quase 1 milhão de espectadores no cinema. É um dos quatro diretores do longa-metragem “O Nó do diabo”, vencedor do prêmio de Melhor Ator Coadjuvante no Festival de Brasília em 2017. Seu mais recente longa, “No coração do mundo”, co-dirigido com Maurilio Martins, estreou na competição Tiger do Festival de Roterdã e entrou em cartaz em agosto de 2019. No final de 2018, Gabriel Martins rodou o seu primeiro longa-metragem em direção solo chamado “Marte Um”, um drama ficcional cujo projeto venceu o edital BO do MinC, na categoria de Longa Afirmativo e que estreou em janeiro de 2022 no Festival de Sundance.

EMENTA: Será feita uma imersão no material dos alunos direcionando-os para a construção de um novo tratamento. Os exercícios vãos cobrir desde a escrita de uma boa logline até como o fortalecimento do conceito de um projeto pode facilitar toda a organização do mesmo. Dentro disso, conversar sobre experiências pessoais do tutor de forma a ambientar os alunos a realidades de mercado e do universo crítico do cinema brasileiro.

Cada consultoria individual passará pelas seguintes etapas:
– Breve apresentação do projeto por parte dos realizadores;
– Análise geral do argumento;
– Análise das personagens e relações que estabelecem entre si;
– Análise da estrutura;
– Sugestões de encaminhamento.

Data: 7 a 9 de julho
Horário: 10h às 12h* (horário sujeito a alterações)

Seleção dos projetos: Rafael de Almeida

Projetos Selecionados
A ponte, de Aristeu Araújo (PR) – longa-metragem
A onça, de Emanuel Lavor (DF) – longa-metragem
Janela da Esperança (SP) – curta-metragem

Suplentes
Rita longe do chão, de Bernardo Tavares (RJ) – curta-metragem
Vestígios de um futuro remoto, de Milena Times (PE) – longa-metragem
Eu não quero lembrar, de Ricardo Sékula (PE) – longa-metragem

Público-alvo: Roteiristas, Diretores, Estudantes e profissionais do Audiovisual

icumam cultural e instituto

producao@icumam.com.br
www.icumam.com.br
Fone: 62 3218 3779.

Viela da rua 124, nº166 Qd.F-23, Lt.30
Setor Sul - Goiânia-GO
Caixa Postal nº 337
74.001-070