Confira os filmes premiados da 21ª Goiânia Mostra Curtas

A Goiânia Mostra Curtas acaba de anunciar os premiados de sua 21ª edição. A cerimônia aconteceu na noite de domingo, 10 de julho, de forma online, com a apresentação de Izza Monteiro e participações de convidados, além de uma confraternização com a DJ AnarkoTrans, encerrando o evento.

Na Curta Mostra Brasil, o grande vencedor foi o curta  “Uma paciência selvagem me trouxe até aqui”, de Érica Sarmet, que recebeu o Troféu Icumam de “Melhor Filme”. A “Melhor Direção” foi para Rodrigo Ribeyro, do curta “Cantareira”. O júri oficial formado por Daniel Nolasco (diretor e roteirista), Flavia Cândida (curadora, cineasta e produtora) e Lidiana Reis (produtora e roteirista),  ainda concedeu oPrêmio Especial do Júri” para Meus santos saúdam seus santos, de Rodrigo Antonio, e uma “Menção Honrosa” para “0,2 Miligramas de ouro”, de Diego Quinderé de Carvalho. 

O Prêmio Canal Brasil de Curtas foi para Cantareira, de Rodrigo Ribeyro. O filme foi eleito pelo Júri do Canal Brasil composto por jornalistas especializados em cinema Cecília Barroso, Francisco Carbone e Larissa Paiva. E o Prêmio Aquisição Sesc TV foi para 0,2 Miligramas de Ouro, de Diego Quinderé de Carvalho.

Já na competição Curta Mostra Goiás o filme  Até a luz voltar, de Alana Ferreira foi o grande vencedor e levou o Troféu Icumam de “Melhor Filme e Melhor Direção”. O Júri, formado por  Cintia Domit Bittar, Filippo Pitanga e Lorran Dias, elegeu ainda A Última valsa, de André Srur com o “Prêmio Especial do Júri” e uma “Menção Honrosa” para” Guia (des)orientador do sexo entre mulheres” de Pollyanna Marques. 

Na Curta Mostra Animação, o filme “A Raiz de Um”, de Pedro Henrique Lima foi o escolhido como Melhor Filme. Leonardo Lacca recebeu o prêmio de Melhor Direção pelo filme “Modelo Video” e o filme “Peixinho” recebeu o Prêmio Especial do Júri.

 

CURTA MOSTRA BRASIL – FILMES PREMIADOS

Melhor Filme

Uma paciência selvagem me trouxe até aqui, de Érica Sarmet

O melhor filme da 21ª Goiânia Mostra Curtas não cabe em si… atravessado por obras artísticas e ativistas que lhe antecederam o filme transborda vida, liberdade e afetos com sua direção precisa e poética tecida através de diferentes registros estéticos narrativos e temporalidades que se embaralham e potencializam o diálogo entre duas gerações e suas conquistas. O prêmio de melhor filme vai para Uma Paciência Selvagem Me Trouxe Até Aqui, da diretora Érica Sarmet.

 

Melhor Direção

Cantareira, de Rodrigo Ribeyro

Pela interessante proposta de refletir sobre o nosso mundo contemporâneo através de uma narrativa que rompe com as histórias cansadas de pessoas dissidentes que fogem das pequenas cidades para os grandes centros urbanos, criando um instigante contraponto entre duas gerações que se encontram na inadequação com a modernidade capitalista, e por um trabalho de direção que é carregado de sutilezas, que podem ser percebidas na construção de uma complexa paisagem sonora e no excelente trabalho da fotografia, o júri do Goiânia Mostra Curtas, concede o prêmio de Melhor Direção para Rodrigo Ribeyro, por Cantareira.

 

Prêmio Especial do Júri

Meus santos saúdam seus santos, de Rodrigo Antonio

Pela sensibilidade de nos guiar diante de um caminho de descoberta de si, onde a ancestralidade referenciada pela troca gentil entre o personagem e a sua avó abre os cursos necessários para o encontro com o mundo que existe além do que podemos ver. Nessa trajetória de cura pessoal, o diretor nos convida também a abrir os olhos, os ouvidos e os sentidos. Meus Santos Saúdam teus santos é o premiado especial do júri da 21ª Goiânia Mostra Curtas.

 

Menção Honrosa

0,2 Miligramas de ouro, de Diego Quinderé de Carvalho

A menção honrosa do júri da 21ª Goiânia Mostra Curtas vai para o filme que nos mostra como o “O futuro não é uma ideia vazia”, ao contrapor a Amazônia, essa floresta tropical e indomavel, à floresta criada pelo homem, organizada e servil, confirmando a ilusão antropocena de superioridade, diante da vida, mas mostrando o futuro frio que nos espera, caso não tenhamos enquanto sociedade o entendimento de que lutar por nossa existência é garantir a floresta em pé. A menção honrosa vai para: 0,2 Miligramas de Ouro.

 

Prêmio Canal Brasil de Curtas

Cantareira, de Rodrigo Ribeyro

Júri do Canal Brasil composto por jornalistas especializados em cinema: Cecília Barroso, Francisco Carbone e Larissa Maia

Pela relação entre Bento e Sylvio, neto e avô e suas conexões com a Serra da Cantareira, em São Paulo. O Prêmio Canal Brasil de Curtas vai para o curta-metragem “Cantareira”, dirigido por Rodrigo Ribeyro. O filme foca na dinâmica entre a metrópole e a natureza. O impacto do tempo nas relações e espaços é parte da construção desse lugar de memória afetiva e ancestralidade.

 

Prêmio Aquisição Sesc TV

0,2 Miligramas de Ouro, de Diego Quinderé de Carvalho

Pela qualidade fílmica, pela relevância temática, pela diversidade regional, pela resistência em abordar temas como garimpo, desmatamento, ciência e vida e também pela perspectiva ameríndia.

 

CURTA MOSTRA GOIÁS – FILMES PREMIADOS

 

MELHOR FILME

Até a luz voltar, de Alana Ferreira

Pela transcendência da expectativa de padrões normativos tanto na sexualidade quanto nos ambientes religiosos, numa confluência artística de todos os departamentos que aproxima o público daquele universo com total entrega, o prêmio de melhor filme vai para “Até a Luz Voltar”.

 

MELHOR DIREÇÃO

Até a luz voltar, de Alana Ferreira

Pelo alcance da coesão entre o domínio narrativo e a habilidosa direção de elenco e equipe, que traz uma abordagem do tema com sensibilidade sem abrir mão do tensionamento entre a estética e o ritmo, o prêmio de melhor direção vai para Alana Ferreira por “Até a Luz Voltar”.

 

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI

A Última valsa, de André Srur

Pela abordagem que faz do tema tanto pelas suas opções imagéticas quanto pela representação fantástica da concretude de fins e recomeços, tendo o amor como elemento agregador das diferenças, o Prêmio Especial do Júri vai para “A Última Valsa”.

 

MENÇÃO HONROSSA

Guia (des)orientador do sexo entre mulheres” de Pollyanna Marques

Pela força do tema e da palavra enunciada a partir de subjetividades que dialogam com o prazer e o desejo entre mulheres, a Menção Honrosa vai para “Guia (des)orientador do sexo entre mulheres” de Pollyanna Marques.

 

CURTA MOSTRA ANIMAÇÃO – FILMES PREMIADOS

 

MELHOR FILME

A Raiz de um, de Pedro Henrique Lima

Pela instigante proposta artística empregada na urgência de se materializar em animação a saúde emocional dos jovens no contexto da pandemia, e diante de uma estética minimalista e ao mesmo tempo brutal, o prêmio de melhor filme vai para “Raiz de Um”

 

MELHOR DIREÇÃO

Modelo Vídeo, de Leonardo Lacca

Pela direção de uma coletividade criativa na geração de movimentos e dinâmicas perante o estático como paralelo da própria pandemia, com diversas subjetividades ativas de cada um dos artistas, o prêmio de direção vai para Modelo Vídeo

 

PRÊMIO ESPECIAL DO JÚRI

Peixinho, de Edson Germinio

E pela ousadia de assumir a melancolia como estética provocativa sobre uma condição social injusta e com traços que remetem à arte popular de xilogravura, silhueta ao cordel, o Prêmio Especial do Júri vai para Peixinho.

 

Assista a cerimônia de premiação aqui:

icumam cultural e instituto

producao@icumam.com.br
www.icumam.com.br
Fone: 62 3218 3779.

Viela da rua 124, nº166 Qd.F-23, Lt.30
Setor Sul - Goiânia-GO
Caixa Postal nº 337
74.001-070